É muito comum, ver as pessoas empolgadas após assistir algum episódio de Mr. Robot, toda aquela coragem, audácia de lutar contra o maior conglomerado corporativista do mundo, é realmente uma revolução fervorosa que deixa qualquer millennial boquiaberto. Mas a maior indagação que a série nos trás é um tanto obscura para a nova geração, muitos veem apenas como uma série sobre hackers, outros enxergam uma luta voraz contra o Capitalismo, e no fim, poucas pessoas conseguem entender a real mensagem que a série Mr. Robot nos passa e como podemos utilizar disso para mudar a nossa sociedade para melhor.

Olhando superficialmente, nós chegamos à conclusão quase unânime de que é uma luta contra o sistema capitalista, disso não há dúvidas, mas se você parar para prestar mais atenção aos fatos da série, o único alvo dos ataques da Fsociety contra o “capitalismo” é a Evil Corp, que claramente domina todo o cenário financeiro e também político ao longo da série.

Do poder deles ninguém é capaz de duvidar, principalmente ao notar que eles conseguiram escapar de processo judiciais envolvendo a vida de pessoas por várias vezes no passado, um deles inclusive responsável pela morte do Pai de Elliot Alderson (Rami Malek) interpretado por Christian Slater na série.

O que nunca paramos para pensar é… como eles conseguiam escapar da “justiça”? Pois mesmo nos Estados Unidos, um lugar onde “A justiça pode ser vista por todos” aconteceu um fato chocante como este sem muitos problemas e isso abre espaço para um grande questionamento.

– Será que a Evil Corp só conseguiu criar um império colossal e às margens da lei por causa do Capitalismo?

Sim e não!

A resposta é mais complexa, Sim porque o capitalismo permite que você cresça, obtenha lucros e expanda suas operações, e o Não é porque a responsabilidade de punir más políticas não é regrada pelo sistema capitalista e depende do Estado, se uma empresa criar uma política que é ruim para os clientes, em um sistema de livre mercado ela perderá para a concorrência e irá à falência, já num sistema muito regulamentado ou com forte lobby isso não acontece, como é o caso das nossas empresas de telecomunicações.

Eu particularmente defendo o sistema capitalista, pois acredito que ele, dentre todos os demais sistemas socioeconômicos, nos proporciona maior chance de ascensão social e qualidade de vida, é claro que como tudo o que existe e que foi criado pelos seres humanos, ele não é perfeito e na verdade, nem deveria ser, uma criação feita por homens falhos tende a falhar, mesmo que em aspectos insignificantes, mas o meu post não foi feito na intenção de defender o capitalismo, meu interesse aqui é criar reflexão para que você possa desenvolver seu próprio raciocínio e se for o caso, discordar do meu raciocínio e defender o seu ponto de vista com mais argumentos.

O que é o capitalismo?

Primeiro de tudo, o surgimento do capitalismo, que pelo que constam nos registros históricos ocorreu por volta do século XVI ao XVIII e o motivo para o seu surgimento foram as negociações comerciais de produtos e matérias primas surgidas com as Grandes Navegações e Expansão Marítima Européia e sua base era bastante simples, um sistema de trocas voluntárias onde ambas as partes ganhariam mutuamente.

Neste período o sistema capitalista se fortaleceu graças a sua simplicidade, não haviam regras, apenas benefícios para ambos os lados presentes em uma negociação, durante este mesmo período a Europa vivia em plena desigualdade, pois os principais praticantes do capitalismo eram pessoas da burguesia e nobreza, classes que vinham do antigo sistema feudal, já falido e desgastado devido à insatisfação das classes menos favorecidas, como os camponeses por exemplo, dentre outras coisas, apesar de já existir o capitalismo a população mais pobre ainda sofria com a desigualdade, mas porquê?

A razão para isto é de bem antes do capitalismo existir, é o Estado que no período Monárquico beneficiava-se muito mais que os plebeus, as políticas adotadas pelos senhores monarcas neste período não era igualitárias e isto se estendeu após o surgimento do Sistema capitalista, quem detinha o dinheiro, detinha a política e isso sempre contribuiu para desigualdade extrema.

– Mas será que o capitalismo é o real culpado pela desigualdade social, pelos monopólios e pelas injustiças sociais?

Seguindo a lógica capitalista, que se baseia apenas em trocas voluntárias entre um ou mais indivíduos, desde que todos os envolvidos estejam em comum acordo, não há como justificar que ele seja o culpado de tudo isso que vemos por aí e que a série dramatiza muito bem aos telespectadores.

– Por quê não?

Porque na lógica capitalista, não existe uma cláusula ou regras (como nos sistemas socialista e comunista) que não pode isso ou não pode aquilo, na verdade você é livre para fazer o que quiser. Isso não quer dizer que você seja realmente livre para fazer o que quiser, você não pode lesar as outras pessoas, afinal você não gostaria de ser prejudicado, certo?

Isso é o raciocínio mais lógico, porém não é a realidade, principalmente no Brasil, nós vemos cartéis e monopólios em tudo que é lado e vivemos nesse sistema há tantos anos que nem conseguimos questionar porque tudo é tão regulado por aqui.

As telecomunicações são privadas porém o sistema é muito regulado e favorecido por um forte Lobby entre o grupo Telefónica e América Móvil proprietária de três grandes empresas de telecomunicações, a Claro S/A, Net Serviços e Embratel que até o fim do milênio passado era Estatal e foi privatizada num processo de “abertura e modernização do mercado de telecomunicações nacional” no governo do Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Este é só apenas um dos Lobbys que existem em nosso país, nem levei em conta os lobbys regionais que querem favorecer taxistas e vou explicar como isso nos prejudica e prejudica o verdadeiro sistema capitalista.

No sistema capitalista, os indivíduos devem apenas estar em comum acordo, porém, com o crescimento e expansão do mesmo, muitas áreas passaram ter diversos serviços dependentes de pequenos grupos ou até mesmo nenhum e quando isto gera demanda, obviamente os preços aumentavam, já que a oferta era baixa.

Com isso surgiram as más políticas, criadas por pessoas sem caráter que queriam aproveitar da vantagem que tinham para explorar quem dependia de sua oferta, mas isso não é um problema criado pelo capital, é um problema criado pelas pessoas, o capitalismo não diz que você deve ser canalha e tirar vantagem desonesta de outras pessoas, como citei antes… Ele não diz nada!

– Como surgiu o corporativismo?

Na história recente, o corporativismo, monopólio financeiro e grandes acúmulos de capital surgiram após a Segunda Guerra Mundial, com o mundo em crise e poucas pessoas detendo grande parte do capital mundial que sobrou após a destruição total da economia Européia e visando manter-se cada vez mais poderosas, essas pessoas, empresas e conglomerados partiram para um novo estilo de concorrência capitalista, a concorrência regulamentada, que contava com regulamentações e leis criadas pelos políticos financiados por eles mesmos, para proteger empresas e consórcios de “concorrência desleal”, e todo o tipo de desculpas esfarrapadas que se pode imaginar.

Mas o problema disso é que quem manda nas empresas tem dinheiro e quem tem dinheiro pode financiar campanhas políticas e consequentemente, controlar o governo através de corrupção e compra de políticos, com isto essas empresas garantem o cartel no seu ramo de atuação, através de leis propostas por políticos sujos, financiados por empresários corporativistas.

Isso é muito comum no Brasil, hoje vemos empresas como a JBS, Odebrecht, OAS, Vivo, Bradesco, Itaú, dentre outros, que utilizaram desta prática suja para garantir seu crescimento financeiro e ficar livres de concorrência.

Isto vai totalmente contra o simples princípio capitalista. No mundo capitalista ideal, você pode trocar e receber o que quiser, desde que ache justo e você não é obrigado a nada. Já num mercado com muitas regulamentações como o nosso por exemplo, a Anatel faz lobby para que empresas estrangeiras como Vodafone, Verizon, China Mobile, entre outras precisem cumprir uma infinita lista de requisitos para que possam atuar no mercado nacional.

Ao colocar na ponta do lápis, o custo de cumprir todas essas exigências torna inviável a implantação de uma nova empresa em território nacional, e para que fique claro, a maior parte dessas exigências é composta por altos impostos, taxas abusivas e requerimentos sem o menor sentido, para que elas possam concorrer com outras empresas e com isso os preços sejam mais competitivos e mais baixos consequentemente, seguindo a Lei da Oferta e Demanda, ou seja, quanto menor a concorrência, mais os corporativistas lucram e quando surge um problema grande ou um concorrente de peso, os corporativistas vão reclamar com o Estado, afinal, os políticos que comandam o Estado não passam de paus mandados dos grandes empresários corporativistas.

Um grande exemplo de como a falta de concorrência encarece os preços dos serviços é o mercado de entregas e correspondências nacional, que é monopolizado pelos Correios, que por sua vez, presta um serviço porco e absurdamente caro em comparação com outros países.

Sem contar também a Petrobrás, que vende o “nosso” combustível para outros países mais barato que para nós mesmos, sabe porquê? Porque em outros países ela precisa concorrer de igual para igual com outras empresas e aqui não.

A Evil Corp, a JBS, os Correios, a Petrobrás, as Operadoras de telecomunicação e todas as outras empresas corporativistas só existem porque tem o apoio do Estado, então ele deve ser reduzido ao ponto de que exista apenas para nos servir e não para nos escravizar.

Elliot Alderson em frente a uma mesa repleta de acionistas do conglomerado Evil Corp
Elliot Alderson em frente a uma mesa repleta de acionistas do conglomerado Evil Corp

O Exemplo mais claro disto que citei acima, é quando a Evil Corp é atacada pela Fsociety e desencadeia uma crise sem limites na economia americana, levando a sua quase falência e com isso Phillip Price vai até o secretário do Presidente para pedir que ele facilite a implantação de uma moeda virtual que até então não era viável por regulamentos do Estado, ou seja, outras empresas não podiam investir naquele negócio, até que a Evil Corp precisou de socorro e então recorreu a Estado para que lhe favorecesse, obviamente o Presidente retratado na série teve suas campanhas financiadas pela Evil Corp.

– Entendeu o motivo de tantas regulamentações e burocracia?

Na vida real, a JBS fez basicamente a mesma coisa, nos últimos 15 anos eles cresceram mais do que muitas empresas em um período de 50 anos ao redor do mundo e tudo isso só foi possível graças ao nosso sistema político falido e fracassado, que impede as pessoas de praticar o Livre mercado sem tantas regulamentações, e quando questionamos o motivo, o Estado alega que é necessário fiscalizar a qualidade dos serviços prestados e produtos adquiridos pelos consumidores, só que nós sabemos que a fiscalização brasileira é tão boa quanto o Firewall do Windows – diga-se de passagem.

– Você já viu, algum serviço de telecomunicação que preste, no Brasil? Ou pelo menos, que se compare aos outros países do G20 por exemplo?

Eu já sei a resposta!

Na série Mr. Robot isto é retratado com bastante drama, as pessoas não recebem o suficiente para pagar os Estudos e estão sempre endividadas, outro fato é que a E-Corp domina todo o cenário financeiro da série, eles vendem produtos eletrônicos, utensílios domésticos, comida, tem um serviço bancário próprio e basicamente todas as transações são feitas à partir de seus servidores, entendeu agora?

A luta para libertar as pessoas das suas dívidas não é contra o sistema capitalista, e sim contra um sistema corporativista dominado quase que 100% por um conglomerado desonesto que usa a influência e poder para se manter às margens da Lei, fazendo o que bem querem.

O termo, nossa democracia foi hackeada, hoje no Brasil é muito mais real do que a própria série Mr. Robot, nós somos dominados por políticos desonestos que ao longo dos últimos 25 anos (não que antes deles o país fosse melhor, na verdade era tão ruim quanto agora) vêm defendendo políticas de alienação social nas escolas, doutrinação sumária de alunos do ensino fundamental e médio para que defendam cada vez mais, políticas que ampliem os poderes do Estado sobre a sociedade e com isso dar mais poder aos empresários que os financiam por meio de Caixa 2 e pagamentos não declarados ao fisco.

Mr. Robot é uma luta contra o capitalismo sujo e contra o Estado e políticos desonestos e manipuladores que agem como ratos, para nos saquear e tentar controlar nossas mentes, o que eu quero passar nesta publicação, não é a visão de que o capitalismo é bonzinho e que tudo são flores, pelo contrário, nós sabemos que se tratando de seres humanos nada é flor que se cheire.

Tyrell Wellick assassina a esposa de seu concorrente interno para tentar fazê-lo desistir da vaga de CTO pela qual competem
Tyrell Wellick assassina a esposa de seu concorrente interno para tentar fazê-lo desistir da vaga de CTO pela qual competem

O capitalismo depende da liberdade para funcionar bem, o que diz se essa liberdade será usada para o bem ou para o mal é a índole de quem a usa. Da mesma forma que eu e você somos livres para ir e vir, conviver em sociedade, podemos simplesmente sem qualquer motivo assassinar uma pessoa e o Estado não pode impedir isso. O máximo que pode ser feito é punir o ato já consumado.

Desta forma, as leis que regulamentam o mercado não devem servir para “inibir” algo que ainda não aconteceu, mas sim para punir más condutas que foram cometidas, desta forma ninguém é favorecido por políticas obscuras que visam “coibir” o futuro, justificando dar mais poderes a políticos safados e empresários sujos.

Já em outros sistemas socioeconômicos, como o comunismo e socialismo o que se vê, são regras para todos os lados, dizendo o que você deve ou não fazer com a sua liberdade, assim como na Venezuela e Cuba, onde a população vive na miséria e os grandes líderes socialistas vivem no luxo, sob a proteção do Estado que eles mesmos criaram à base de alienação e manipulação das massas mais carentes da sociedade.

O maior inimigo da sociedade atual é o Estado que nos explora com impostos altíssimos e nem sequer devolve estes valores de forma justa para a sociedade, grande parte do que pagamos é gasta com mordomias e corrupção que enche os bolsos desses vermes insolentes, que comandam a maior facção criminosa já vista em nosso país, não existem partidos de esquerda ou direita, nunca houveram dois lados, são apenas um monte de ratos lutando para manter o controle sobre a sua mente e a sua liberdade.

Nossa liberdade foi hackeada, você só não percebeu ainda.
Nossa liberdade foi hackeada, você só não percebeu ainda.

Pesquise sempre o que lhe falam, questione sempre, não existe verdade absoluta e assim como Elliot Alderson, durante toda a série, você deve sempre questionar o motivo de tudo e buscar à fundo a fonte de todas as informações, investigar o teor das matérias publicadas na mídia, pois a mídia mente quando quer defender seus interesses e pode ter certeza que nesse tipo de cenário político em que vivemos, a mídia age de forma tão suja quanto os políticos e corporativistas.